Recém-nascidos podem ter seu sistema imune estimulado contra o vírus HIV

A descoberta, descrita e divulgada em periódico científico, abre caminhos para novas intervenções terapêuticas.

Cognys

  • 01/12/2021
  • 0
  • 0
  • 0
Favoritar
Pesquisadores provocaram a resposta inata em células advindas do cordão umbilical de bebês cujas mães não tinham HIV através de um composto sintético chamado CL097. (Fonte: iStock)

De acordo com um estudo desenvolvido por pesquisadores da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FM-USP), é possível potencializar a resposta imune de recém-nascidos contra o vírus HIV, causador da Aids. Conforme apontam os especialistas, a descoberta, que foi divulgada em um periódico científico, abre caminhos para a elaboração de novas intervenções terapêuticas para a proteção contra doenças infecciosas nesse período da vida.

Durante o experimento, os pesquisadores provocaram a resposta inata em células advindas do cordão umbilical de bebês cujas mães não tinham HIV através de um composto sintético chamado CL097. Ou seja, a primeira linha de defesa imune, que não é específica para um patógeno e envolve células como macrófagos, monócitos e neutrófilos. Em seguida, a equipe do Laboratório de Investigação Médica 56 incubou o vírus nas células in vitro. Nesse cenário, o composto foi eficiente em gerar respostas antivirais e inflamatórias, inibindo a replicação do HIV nas células do cordão umbilical. 

Segundo Maria Notomi Sato, professora da FM-USP e autora principal do estudo: “Esse achado sem dúvida colabora para o desenvolvimento de tratamentos antivirais alternativos para os bebês. Os testes foram realizados com o HIV, mas é muito provável que isso se dê da mesma forma com outras doenças virais ou bacterianas. Ainda precisamos de mais estudos, mas, no futuro, poderíamos oferecer esses compostos para os nenéns a fim de ativar a resposta antiviral, fazendo com que eles respondessem tão bem quanto adultos, a ponto de prevenir a própria infecção e combater as células infectadas”, explica.

Link da notícia completa, clique aqui.

COGNYS
MEDICINA
hiv
pesquisa
tratamento
fonte: R7