5 pontos para se observar na orientação de alta hospitalar

Entenda como a alta hospitalar se mostra como um desafio no dia a dia do farmacêutico clínico e como otimizá-la.

  • 18/03/2022
  • 0
  • 0
  • 0
Favoritar
5 pontos para se observar na orientação de alta hospitalar. (Fonte: iStock)

As funções desempenhadas pelo farmacêutico dentro do ambiente hospitalar podem ser bastante diversas. Dentre as possíveis atuações na área da farmácia clínica é possível citar a alta hospitalar. Através dela, pacientes que passaram por qualquer tipo de internação, serão liberados, seja para dar prosseguimento ao tratamento em casa, pelo pedido do paciente, necessidade de transferência para um hospital que ofereça um atendimento especializado ou evasão hospitalar.

Todo o planejamento da alta hospitalar deve ter início a partir do momento em que o paciente é admitido. Assim, é facilitada a continuidade do tratamento obtido no hospital, agora em ambiente domiciliar, trazendo benefícios não só para o próprio paciente, como para os profissionais que fazem seu atendimento e a instituição em que foi atendido. Para elencar os principais pontos e nuances acerca do trabalho realizado pelo farmacêutico clínico durante a alta hospitalar, o Cognys reuniu informações importantes que devem ser observadas nesse processo. Confira.

Confira sempre as receitas que serão entregues ao paciente

Antes de mais nada, o farmacêutico deve ter a garantia de que a receita que será entregue ao paciente, que inclui quais medicamentos serão utilizados, sua dosagem, o tipo de receita, formulários, está de acordo com suas necessidades. Desta forma, quanto mais rápido a conferência for realizada, mais rápido o farmacêutico poderá revisá-lo com o prescritor.

Faça uso de ferramentas facilitadoras

O público admitido no ambiente hospitalar é diverso e apresenta, por vezes, grandes limitações. Quando as receitas são entregues ao paciente, é importante que o farmacêutico consiga identificar, a partir de um contato direto, as limitações pessoais de cada um, para que seja facilitada a interpretação de sua terapia. Nesse caso, podem ser utilizadas ferramentas como o uso de símbolos, cores, figuras e outras possibilidades que permitam um melhor entendimento e reduzam o risco de erros durante seu tratamento.

Avalie e identifique possíveis problemas de adesão ao tratamento

Quanto mais informações o paciente fornecer sobre sua condição e dificuldades, melhor será sua adesão ao tratamento. A avaliação de terapias anteriores e sua adesão a elas é um importante norte para avaliar de que forma o paciente lidará com o tratamento determinado. Caso seja observado que o paciente não possui uma adesão satisfatória ao tratamento determinado, é estritamente necessário procurar entender as razões pelas quais isso ocorre e buscar alternativas para orientá-lo.

Oriente sempre sobre a forma correta de armazenar os medicamentos em uso

Cada medicamento possui sua particularidade, seja no intervalo entre doses, seja na forma como são administrados ou na maneira como são armazenados, e essas informações precisam ser deixadas de forma clara ao paciente.

No caso do armazenamento, quando realizado de forma incorreta, pode colocar em risco todo o tratamento e a saúde do paciente. Principalmente quando nos referimos aos termolábeis, como por exemplo a suspensão de antibiótico que deve ser guardado na geladeira por X dias.

Cadastre-se gratuitamente no Cognys e tenha uma experiência personalizada com nossos conteúdos!
Já tem uma conta? Faça login.

Garantir que o paciente tenha entendido e não existam dúvidas em relação ao tratamento

Após todas as etapas antecedentes, chegou a parte de verificar o entendimento do paciente. É recomendado que, após toda a consulta farmacêutica, com explicações sobre medicação e recomendações, o  profissional peça que o paciente repita as informações. Desta forma, reduz-se ainda mais as chances de erros que podem ocorrer a partir da alta hospitalar.

Alta médica X Alta hospitalar

Quando falamos sobre a alta médica, estamos nos referindo ao final do tratamento. Ou seja, quando o paciente está curado do que o levou a ser hospitalizado. Neste caso, o paciente está liberado para voltar para casa e não precisa mais de tratamento.

Já no caso da alta hospitalar, o paciente apenas é liberado do ambiente hospitalar. No entanto, deverá dar continuidade ao tratamento em casa com suporte domiciliar e atendimento ambulatorial. É importante ressaltar que, neste caso, o paciente ainda não está curado e o prosseguimento no tratamento é imprescindível para o processo de recuperação e cura..

Cognys Meds

Para facilitar o acesso a informações sobre medicamentos e sua utilização, o Cognys Meds, a ferramenta de suporte à decisão clínica, entrega um potente conjunto de ferramentas. Dentre elas estão a Lista de Medicamentos do Paciente (LIMPA), onde as informações podem ser encontradas, além de toda relação de fármacos que o paciente faz ou fará uso e o Bulário Cognys, sempre aliadas ao painel de interações medicamentosas.

Desenvolvida com tecnologia IBM Micromedex, o conjunto de ferramentas disponível no Cognys Meds trará um ganho de produtividade para o profissional e maior segurança para o paciente. Desta forma, os benefícios do produto vão afetar diretamente na qualidade do atendimento do paciente e na performance do farmacêutico em atuação.

Para saber mais sobre o Cognys Meds, acesse o site.

Cognys
Cognys

O Cognys é uma solução digital completa, que entrega para o profissional da área de saúde os mais importantes recursos para ajudá-lo em sua rotina diária e aprimoramento constante.

COGNYS
farmacia clinica
alta hospitalar